quinta-feira, 12 de junho de 2008

Dia dos namorados é...

Quando eu era pequeno imaginava o namoro como aqueles álbuns "Amar é..." antigos e amarelados que a minha mãe tinha. (Já reparou como a cola adesiva fica amarela e seca depois de uns 10, 20, 30 anos?) Uma coisa melosa, sem muito propósito.

O que eu não pensei muito a respeito foi que o namoro é como vocês dois definem que ele vai ser. Claro que em certos momentos ele vai ser "meloso" ou carinhoso, como queira, o que é muito bom, principalmente pra alguém como eu, que não estava acostumado a receber carinho de quem se preocupa comigo.

Mas namoro, pelo menos o meu e da Camila, também tem momentos divertidos, cool, poser, tolos, sérios, de desenvolvimento pessoal mútuo, de suporte mútuo.

Além de ser uma aventura iterativa, que pode ser melhorada aos poucos.

Tive que trabalhar muito a comunicação, que não era a minha especialidade. Eu sou bom em comunicação objetiva, de me comunicar pra conseguir alguma coisa, mas aquela comunicação de relacionamento, para deixar todos a par do que tá acontecendo, de desfazer mal entendidos, eu não sabia nem conseguia porque era muito pesado pra mim desfazer os nós que muitas vezes uma sentença mal formulada pode trazer.

A experiência compartilhada das coisas que acontecem, promovem uma perspectiva interna, que só um relacionamento como um namoro ou uma amizade muito forte pode proporcionar.

Camila, te amo!

Um comentário:

Mila disse...

EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!EU TE AMO!
MUUUUUUUUUUITO!
Obrigada por tudo! E também pelo mais importante: obrigada por existir, e me deixar fazer parte da tua vida e aceitar fazer parte da minha!
EU TE AMO!